Analisar os impactos do uso da Inteligência Artificial (IA) hoje em dia tornou- se uma tarefa muito comum devido à crescente tendência das empresas em adotar esse tipo de tecnologia. A IA se apresentou como uma possibilidade de transformar os negócios e de ser utilizada nas organizações para ampliar a visão estratégica e aumentar a competitividade no mercado.

A Inteligência Artificial é uma tecnologia que tem conquistado espaço no mundo dos negócios por ser capaz de reduzir falhas, diminuir custos, aumentar lucros, aprimorar a qualidade da mão de obra, crescer em produtividade e, ainda, potencializar os recursos oferecidos por um ERP, uma tendência que está se consolidando, ultimamente, em função dos diversos benefícios e facilidades que podem ser alcançados ao combinar o sistema de gestão empresarial com o uso da IA.  

Independentemente da área de atuação, o uso da IA aliado aos ERPs tem como principal finalidade fazer com que as máquinas, que comportam um software de gestão, sejam capazes de pensar na forma que os humanos realizam determinada tarefa manualmente e executá-la em um curto intervalo de tempo.

Desse modo, a tendência é que o uso dessa tecnologia se torne cada vez mais indispensável para os ERPs, a fim de torná-los ainda mais intuitivos e capazes de proporcionar um maior conhecimento aos gestores e usuários do software.   

Ilustração da representação da Inteligência Artificial - ERP

Abaixo compartilho algumas vantagens da Inteligência artificial quando somada ao ERP: 

Automação e padronização de processos: Para a automação de processos, a IA aproveita as possibilidades de ‘Machine Learning’ (ou aprendizado de máquina) para identificar processos repetitivos que envolvem muito tempo e esforço para gerar as possíveis respostas que uma organização deve fornecer, sem a necessidade de interação humana e de dados históricos.  

Assim, por exemplo, uma instituição financeira tem a possibilidade de criar sistemas de concessão de créditos através de um chatbot que entrega respostas corretas em segundos, com base no comportamento de seus diferentes tipos de clientes no passado. 

A grande vantagem dessa tecnologia, nesse caso, é permitir que as empresas selecionem dados úteis com maior eficiência. Já o ‘Machine Learning’ não leva em conta apenas textos e números, mas outros componentes, como conversas, áudios ou imagens. Isso permite que informações críticas para os negócios sejam encontradas a partir de dados cada vez mais variados. 

Identificar novas formas de expandir seus negócios: Algo muito semelhante acontece quando uma organização decide implementar essas tecnologias para expandir seus negócios, identificando novas áreas de oportunidade. Talvez o exemplo mais difundido dessa realidade esteja nas recomendações fornecidas pelos sites de comércio eletrônico quando alguém compra um produto. Essas sugestões são baseadas no comportamento de dezenas de milhares de compradores, que encontraram necessidades adicionais ou têm gostos semelhantes, para que possam facilmente aumentar o valor do ticket de compra. 

Foco na experiência do cliente: Proporcionar uma experiência de 360 graus a todos os clientes, acompanhando-os em cada etapa do ciclo de compra faz diferença, principalmente no momento de fidelizar um novo usuário. Atualmente, existem ferramentas no mercado capazes de fazer análises de sentimentos dos clientes e, desse modo, o gestor é capaz de se antecipar aos problemas antes que eles se tornem muito maiores.  

Uma boa plataforma de experiência do cliente deve usar aplicativos contextuais, que ajudem a centralizar cada interação que foi feita com o cliente – por meio de e-mail, sistemas de mensagens ou chatbots, por exemplo – para criar ofertas exclusivas. Desse modo, o comprador sentirá que a organização entende suas necessidades, oferece produtos relevantes e disponibiliza suporte excepcional. 

A IA, quando implementada junto ao ERP, permite reduzir o trabalho tedioso e poupar o tempo dos colaboradores para que eles possam investir em um melhor relacionamento com os clientes. Por conta dessa característica, inclusive, várias empresas de software já estão investindo em sistemas de Inteligência Artificial próprios, que auxiliam a administrar esse grande fluxo de informações. O objetivo dessa parceria entre as tecnologias é, justamente, proporcionar maior agilidade aos processos de entrega para os clientes.  

Eficiência operacional que gera resultados: Com o uso da IA é possível entregar desde processos mais simples, mas que garantem resultados significativos, até casos mais complexos como, por exemplo, uma negociação financeira. Mas para que essa combinação aconteça da melhor forma possível é preciso que a empresa conheça muito bem o seu cliente e ofereça o melhor tipo de tratamento para atender suas necessidades. A IA entra nessa equação para maximizar os resultados, trazendo mais agilidade e democratizar os processos.  

Humanização de processos: conhecer mais sobre as tecnologias que envolvem a inteligência artificial e combiná-las ao uso de um ERP garante uma série de benefícios para as organizações que podem aprimorar a humanização dos processos para criar um maior nível de proximidade e fidelidade com o seu cliente. Essa característica torna as etapas de interação mais assertivas, econômicas e gerenciáveis para a empresa. 

Em conclusão, para 2022, os novos algoritmos e protocolos de processamento de dados da Inteligência Artificial, bem como o aprendizado de máquina, permitirão obter sugestões cada vez mais inteligentes. Um recurso que será fundamental, principalmente para as empresas que desejam aumentar sua competitividade e conquistar novas oportunidades de mercado na era pós-Covid-19. Portanto, é essencial que os gestores compreendam a importância de aliar a IA ao ERP para que não somente tenham suas respectivas vantagens, mas também possam acompanhar as transformações tecnológicas do mercado.  

Por Rafael Gouvea, CEO da Neppo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.