20 de Novembro - Dia da Consciência Negra

20 de Novembro - Dia da Consciência Negra

Hoje, dia 20 de novembro há exatos 325 anos, acontecia o assinato de Zumbi de palmares. O homicídio do líder do quilombo mais famoso do Brasil, não foi apenas para dar fim a vida de mais um escravo fugitivo, mas sim para apagar o símbolo que ele representava, a possibilidade de liberdade para o povo negro. 

Alguns poderiam dizer que liberdade é o poder de ir e vir quando quiser, mas será que essa liberdade foi mesmo alcançada 193 anos depois? Para alcançarmos a verdadeira liberdade é preciso garantir as condições básicas para que esse direito seja de fato exercido, do contrário não há liberdade. 

Comemorar o dia da consciência negra, é uma maneira de lembrar não só de Zumbi ou de Palmares, mas olhar para um povo que durante 300 anos teve os seus direitos básicos anulados, por uma crença de superioridade de uma raça sobre as demais. Um povo que foi retirado da sua terra para servir de mão de obra escrava aos interesses de outros. Não um povo escravo, mas escravizados. 

Quando as senzalas da “casa Grande” foram esvaziadas pela Lei Áurea, o povo negro foi marginalizado para morros e favelas, onde não há politicas publicas e privadas, falta saneamento básico, a violência é a única constante e a certeza mais recorrente é a de que a cada 23 minutos um dos seus terá que ser enterrado. 

Zumbi e Palmares também representa a força deste povo que mesmo diante de uma política segregadora, racista e de extermínio, resiste e luta todos os dias para alcançar a tão sonhada liberdade, mesmo encontrando barreiras sociais, econômicas e principalmente simbólicas. 

Mais do que uma data “comemorativa”, pensar sobre esses fatos no dia de hoje, deve nos fazer refletir sobre qual o nosso papel nesta luta por liberdade.

Não basta não ser racista, não basta se abster de comentários e ações racistas, hoje o posicionamento esperado de alguém que se diz contra esse tipo específico de violência deve ser antiracista, e fazer-se antiracista  não é só palavras, leituras, consciência, devemos realizar ações práticas, no dia a dia, nos locais privados e públicos onde estamos criando espaços não só de diálogos, mas de oportunidades de inclusão, de empregos, de oportunidades. 

E o que você tem feito por esta luta?

O que a Neppo pode fazer por esta causa?


A luta contra o racismo é um dever social e deve ser de todos. A liberdade e o poder do povo negro deve ser motivo de orgulho e não de medo. Indique profissionais negros para nossas vagas, compartilhe seus trabalhos, dêem visibilidade nos seus projetos. Que hoje seja uma semente germinando para que no futuro possamos ser verdadeiramente inclusivos, dedicando processos seletivos exclusivos, promovendo lideranças e ajudando a tornar a sociedade um local mais justo e inclusivo. Que nessa mesma data em 2021 possamos estar comemorando o fruto de um trabalho iniciado hoje.

Texto escrito por: Jefferson Ferreira

Para apoiar: www.instagram.com/movimentoAYA

  • COMPARTILHAR

fale com um consultor